segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

sábado, 10 de dezembro de 2011

Síndrome do Ovário Policístico

A Síndrome do Ovário Policístico tem sido muito diagnosticada com a melhora da imagem de Ultrassonografia, mas nem sempre apresenta as alterações hormonais que a caracterizam, mas devido a sua freqüência tem sido solicitado pelas minhas pacientes que esclareça o que ocorre.
É difícil esclarecer algo que ainda não tem sua causa bem definida, mas podemos descrevê-la pelas alterações que apresenta.
Primeiro queremos esclarecer o que é  Síndrome – é o conjunto de sinais e sintomas que caracterizam  algum quadro, no caso a Síndrome do Ovário Policístico (SOP).
A SOP é caracterizada por sinais de hiperandrogenismo e  disfunção ovariana os quais podem ser mais ou menos intensos e presença de ovários policísticos ao ultrassom.

Para se diagnosticar a síndrome é necessário o achado de Ovários policísticos ao ultrassom associado a presença de sinais de hiperandrogenismo (ao exame clínico ou laboratorial)por exemplo acne, aumento de pelos, anovulação (falta de ovulação) ou deficiência desta, que irão repercutir com alterações do ciclo menstrual.
Entre as alterações hormonais podemos encontrar resistência a insulina (dificuldade na queima da glicose sanguínea) e com isto tendência ao diabete, por isso devem ser avaliadas procurando outra síndrome - a Metabólica, para prevenirmos alterações vasculares, cardiovasculares, hipertensão etc.. Podemos encontrar também obesidade.
Em meio aos sintomas podemos observar:
·         Irregularidade menstrual  podendo variar entre atrasos ou ausência menstrual (amenorréia).
·         Dificuldade em engravidar.
·         Acne, pele oleosa e aumento de pelos
·         Aumento de peso, inclusive a dieta pode melhorar a síndrome.

O diagnóstico é feito pela história clínica, com dosagens hormonais  e com o achado de muito cistos ovarianos no ultrassom

O Tratamento vai depender da expectativa da paciente, se não desejar a gravidez será indicado  anticoncepcionais orais se a gravidez for almejada será  a indução da ovulação, mas na devemos esquecer que como síndrome outros aspectos devem ser considerados entre eles a dieta e exercícios físicos .

Links de interesse sobre o assunto:


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

DISMENORRÉIA PRIMÁRIA (Cólica Menstrual)

Dismenorréia é a cólica menstrual, que na verdade é uma dor cíclica associada aos ciclos ovulatórios sem  outras  alterações. Caracteriza-se por ter inicio logo após a menarca (alguns meses ou até 2 anos após), Acredita-se que a dor ocorra por contrações uterinas, gerando as conhecidas cólicas provavelmente provocadas pelas prostaglandinas; assim a dismenorréia primária está quase sempre associada aos ciclos ovulatórios.
Os fatores que possibilitam ou favorecem o aparecimento das cólicas podem ser desde uma passagem de tecidos através da colo, um orificio cervical estreito, um útero mal posicionado, como também uma vida sedentária onde a falta de exercíciosestá presente  e nas jovens em que se percebe uma ansiedade acerca do fluxo menstrual exacerbada. Geralmente, começa durante a adolescência e tende a diminuir com a idade e depois de uma gravidez. O legítimo quando crescer sara ou quando casar passa...
Quando a dismenorréia aparece depois de um tempo considera-se Adquirida ou Secundária. e geralmente é causada por uma patologia demonstrável.  Entre as causas temos:  a endometriose; uma adenomiose , ou secundário a uma conização, criocauterização ou termocauterização;  um pólipo endometrial também pode causar uma dor semelhante à cãibra. A doença inflamatória pélvica tambeém deve ser incluída no diagnóstico diferencial. Algumas vezes, não se consegue encontrar uma causa.
Sintomas e sinais
A dor é na maior parte das vezes semelhante a uma cólica ou cãibra, mas pode ser uma dor enjoada e constante e se irradiar para as costas ou pernas. Caracteriza-se por começar antes ou junto com a menstruação, pode atingir o máximo em  24h e na maioria das vezes diminui depois de 2 dias. Pode vir acompanhada de dor de cabeça, enjoos, e ateração do hábito intestinal. As vezes os sintomas da TPM (ver postagem anterior) podem permanecer  durante a menstruação.
Tratamento
Deve incluir um acompanhamento psicológico ou simplesmente medidas que tranquilizem a jovem de que a cólica pode ser normal. Muitas não necessitam de tratamento medicamentoso, mas quando elas forem fortes e prejudicarem o dia a dia deve procurar seu ginecologista para indicar o medicamento adequado. Um tratamento pode ser mais eficaz se for começar 1 ou 2 dias antes e terminar 1 ou 2 dias após a mesntruação. Se a dor persistir deve-se pensar nos anticoncpcionais orais. Repouso, sono  e exercícios regulares podem ajudar.

fonte: Manual Merck

domingo, 19 de junho de 2011

Climatério continuação...


Bem dando continuidade ao tema, temos optado por ir abordando em etapas para evitar de nos tornarmos cansativos e queremos reforçar que gostaríamos que colocassem comentários para que não deixemos dúvidas ...



Devemos recordar o ciclo menstrual ver a outra postagem e lembrar que com a época da aposentadoria do ovário temos alterações neste ciclo que vão desde a irregularidade menstrual até a total ausência de menstruação. As alterações hormonais do Climatério variam da diminuição apenas de Progesterona na primeira fase (pré-menopausa) até a diminuição de Estrogênio e progesterona  na pós –menopausa, e estes níveis vão oscilar e podem  provocar vários sinais e sintomas na mulher.  Os efeitos das oscilações hormonais vão desde hemorragias , irregularidades de ciclo (pré-menopausa) até amenorréia(ausência de menstruação), esterilidade, ondas de calor(fogachos), sudorese


Assim podemos referir algumas das modificações que ocorrem na mulher como: 
    • FADIGA 
    • VISÃO (presbiopia)
    • CABELOS (queda ou quebradiços)
    • DENTES (facilidade de gendivites)
    • OBESIDADE
    • URETRA (facilidade de inf. Urinárias)
    • MENSTRUAÇÃO (desde hemorragia até a ausência )
    • FERTILIDADE ( da dificuldade a incapacidade de reproduzir)
    • GENITAIS  E MAMAS (atrofias)
    • SEXUALIDADE ( esta poderá exacerbar ou diminuir)
    • ALTERAÇÕES PSÍQUICAS (nervosismo, tendência a depressão)





    É fundamental portanto prevenir que as modificações que possam aparecer transformem-se em sintomas de intensidade severa que alterem a qualidade de vida, assim qualquer que seja o tratamento indicado para o seu caso ele deve visar a QUALIDADE DE VIDA!!!!






    Ciclo menstrual

    Escrevendo sobre climatério percebi que não falei do ciclo menstrual  então...

     






      





    Assim se houver alguma alteração no seu ciclo menstrual procure seu ginecologista que poderá avaliar e lhe dar as melhores respostas...



                                                                                   

    sexta-feira, 3 de junho de 2011

    Climatério continuação...

     Assim como o dia amanhece e anoitece e traz consigo todas as variações lindas e próprias de cada hora ... A vida tem etapas diversas com seus mistérios característicos de cada etapa conforme colocamos na postagem anterior.




    O Climatério ocorre ENTRE  40 E  59 ANOS e a MENOPAUSA –ocorre em torno dos  48,1 anos (SP) e considera-se menopausa precoce antes dos 40 anos e menopausa tardia após os 50 anos.
    continua...


    quinta-feira, 2 de junho de 2011

    Climatério

    Climatério 1
    Atendendo o pedido de amigas...  vou começar  a abordar esta fase da vida...
    Como vemos é apenas mais um degrau pelo qual temos que passar...
    Não apenas do ponto de vista biológico, podemos dizer que o Climatério está para  a puberdade  assim com a menopausa(ultima menstruação) está para a menarca (primeira menstruação), mas também traçar paralelos com as crises psicológicas e sociais, embora estas com enfoques bem diferentes.
    Enquanto na puberdade os hormônios estão alterados pelo inicio da resposta ovariana ao estímulo central e com isso  estão em ebulição, no climatério estão alterados pelo fim da resposta ovariana , como eu costumo dizer ... os ovários também querem se aposentar...e assim os hormônios nesta fase  encontram-se  em produção desordenada.
    segue...

    domingo, 22 de maio de 2011

    Degraus da Vida

    Vida
    A vida é como uma escada com vários degraus que devemos transpor inevitavelmente ao longo dos anos, degraus estes com as dificuldades próprias e inerentes a cada faixa etária. A cada etapa subimos um degrau como colocamos adiante:
    • Ao nascer começamos a nossa escalada, temos nossa primeira dificuldade a enfrentar... deixamos o aconchego do útero materno e após uma saída atribulada chegamos a esta vida e temos que respirar sozinhos e a cada 2 a 3 horas avisar que estamos com fome...  somos  BEBÊS
    • Então passamos a galgar os próximos degraus aprender a engatinhar, caminhar, a comunicar nossas necessidades e depois falar.
    • Chegamos então a fase das separações... temos que deixar nossa casa e ir para a creche e depois para a escola... começamos a socializar. - INFÂNCIA
    • 5-7 anos -  começamos a ALFABETIZAÇÃO, seguem-se os anos escolares, as primeiras responsabilidades: tarefas, estudos, provas e resultados e o inicio das amizades com os coleguinhas.
    • Passam-se os anos e chegamos a PUBERDADE modificações no nosso corpo, não nos reconhecemos... somos crianças ou adultos???
    • Aí começamos a descobrir o outro – NAMORO  - SEXO
    • 16-21 anos -  VESTIBULAR  ou ENEM – responsabilidades com nosso futuro o que fazer????
    • 25 a 28 anos – inicio profissional e mais uma crise... cadê aquele tão sonhado EMPREGO em que íamos ganhar mundos e fundos????
    • 25 a 35 anos – está na hora de pensarmos em preservarmos a espécie e formalizar a união – CASAMENTO que com boa vontade e compreensão poderá durar ...
    • 40 a 55 anos – CLIMATÉRIO feminino ou masculino – período de incertezas dúvidas e altos e baixos por modificações psicológicas, sociais e físicas. (abordaremos posteriormente)
    • 60 a ... – Ironicamente chamado de “Melhor Idade” só pode ser ironia...  é a idade das dores e das dificuldades que podem ser amenizados por mudança de hábitos, prefiro referir com a idade da experiência, aprendemos a lidar com nossos problemas...
    Pensamos em abordar alguns destes degraus e atendendo a diversas solicitações na próxima postagem divagaremos sobre o climatério feminino, até lá...

    quarta-feira, 18 de maio de 2011

    PENSAMENTO MÁGICO

    PENSAMENTO MÁGICO
    Por que as meninas engravidam????
    Sem dúvida, o pensamento mágico nos acompanha em todas as faixas etárias... comigo não vai acontecer... em diferentes situações desenvolvemos este mecanismo, mas com isto esquecemos de usar a razão em várias circunstâncias da vida... o dinheiro que acreditamos infindável, o saldo do cartão de crédito que achamos que podemos pagar, a doença que achamos que não será nossa e finalmente aquela relação sem proteção que acreditamos que ... uma vezinha só...  não vai dar em nada. É o pensamento que existe quando se tem uma relação sem proteção com preservativo e que pode resultar em uma gravidez ou  ...  o que é pior em uma doença sexualmente transmissível (DST).
    O que quero mostrar com isso é que ninguém está livre (QUALQUER IDADE), mas se pudermos tornar isso consciente a todos seres humanos muita dor de cabeça poderá ser evitada.
    Assim uma relação sexual sem proteção pode sim, se for no período fértil, culminar com uma gravidez não desejada, ou como dissemos acima em uma DST.

    NÃO ESQUEÇA USE SEMPRE PRESERVATIVO, PARA NÃO ENGRAVIDAR SEM DESEJAR E PARA NÃO PEGAR UMA DST!!!!
    E USE SEMPRE A RAZÃO PARA TOMAR SUAS DECISÕES...

    quinta-feira, 12 de maio de 2011

    FELIZ DIA DA(O) ENFERMEIRA(O)

    Neste dia 12 de maio se comemora o Dia do Enfermeiro. Esses profissionais que fazem de seu dia-dia um exercício constante de dedicação aos enfermos e necessitados.
    A profissão de enfermeiro é antiga e define aos que cuidavam, nutriam, protegiam e dedicavam-se aos enfermos, idosos e deficientes. O dia 12 foi escolhido em função do nascimento de Florence Nightingale, fundadora da Primeira Escola de Enfermagem, no Hospital Saint Thomas, em 1859, e que passou a servir de modelo para as demais escolas que vieram depois. 

    sexta-feira, 6 de maio de 2011

    Falando de tudo um pouco - Finanças pessoais

    FINANÇAS PESSOAIS!!!!
               

    Perdoem-me os que estavam esperando uma postagem de Ginecologia, mas hoje pensei em falar de DINHEIRO. É muito importante acostumarmos com o dinheiro, a noção de valor, de economia, de gasto desnecessário ... Assim hoje vou dedicar umas linhas a este tema.
    Se você é criança, adolescente ou mesmo adulto e ganha mesada, ou se é profissional e ganha salário de qualquer forma acostume a NÃO gastar tudo que ganha, se guardar 10% do valor total terá uma reserva para um momento que precisar, as vezes, isso é difícil, mas lembrem-se se não der neste mês tente no seguinte. Faça um planejamento de suas finanças, separando em entradas(créditos) e saídas(débitos) e estas separe em despesas  fixas e variáveis pois assim poderá visualizar o que não é tão necessário, lembrando que o débito não deve ultrapassar o crédito, pois se tiver que lançar mão de outras fontes, como empréstimos somar-se-ão os juros e cada vez o buraco ficará maior. Um bom costume no inicio, para auxiliar a visualização, é anotar todos os gastos por menor que sejam, será mais fácil para escolher o que cortar e reconhecer os realmente necessários.
    Compras- não as faça em um impulso, não vá ao comércio quando estiver ansioso ou deprimido pois nestes momento tendemos a gastar mais para compensar. Quando for comprar algo pense: preciso? para que? porque? devo? para quando? é o momento certo? não é mais uma porcaria que depois vai ficar sobrando em meu armário? ocupando espaço? Muitas vezes é melhor amadurecer uma idéia e comprar algo que realmente precisamos e é importante, mesmo que para isso tenhamos que economizar mais tempo.
    Lembrem-se que crediário é dinheiro gasto, mesmo que seja em 10 vezes e de valor pequeno mas passará a ser mais um custo fixo mensal para os próximos meses. Como ninguém é de ferro, escolha uma data do ano para comprar algo e se dar de presente (por ex: aniversário) aí sim pode ser totalmente inútil.
    Pais - não entrem nesta de dar dinheiro aos seus filhos a toda hora ( ex: pai me dá dinheiro para comprar uma revista? uma calça, um brinquedo, um cinema, um lanche, uma merenda etc.) isto representará uma conta enorme e não o ensinará a planejar, calcule dentro de suas posses o que pode dar e o que é adequado a idade e converse com ele sobre isso. Assim quando ele quiser algo ele terá que se organizar e juntar o dinheiro necessário para comprar o item desejado. É claro que existem itens essenciais que cabem aos pais prover, mas aqueles supérfluos... deixe para ele avaliar e se organizar...
    Não sou economista, mas como diz o ditado de economista e de louco todo mundo tem um pouco... espera aí ou era de médico e de louco todo mundo tem um pouco??? mas como sou médica resolvi mudar o ditado... abraços

    segunda-feira, 25 de abril de 2011

    Páscoa!!!

    Páscoa e tempo de renovação e de compartilhar com os familiares e amigos a Paz e o Amor que Cristo nos ensinou!!!!
    Espero esta semana postar a continuação ...

    sexta-feira, 8 de abril de 2011

    O que é sexualidade???


    O conceito de SEXUALIDADE é bem extenso, inclui as diferentes formas de procurar prazer e quando dizemos prazer também queremos dizer no sentido mais amplo e em diversas circunstancias. Teoricamente, a sexualidade assim como a conhecemos, inicia-se à puberdade ou adolescência, o que deve ocorrer por volta dos 12 anos de idade (Art. 2º – Estatuto da Criança e do Adolescente). Contudo, sabemos que não se configura desta forma, sendo relativo, pessoal e abrangente. Podemos dizer que inicia em nossa vida intra-uterina e segue ao nascer, crescer durante os diferentes processos de saciedade de nossas necessidades básicas sofrendo influencia do contato com a mãe, da identificação com os pais e a seguir com os demais familiares e amigos, buscando assimilações, amores, impressões, enfim vai manifestar-se de acordo com a realidade e as experiências vivenciadas por cada indivíduo.
    É comum confundir sexualidade com SEXO e com GENITALIDADE. É importante colocar que não precisam vir atrelados e as manifestações devem ocorrer no momento em que cada individuo ache propício (nas diferentes formas de prazer, não exclusivamente sexuais). Algumas vertentes consideram que, as diferentes fases do crescimento psicológico: oral, anal e fálica, vão contribuir para a constituição da sexualidade adulta.
    Então podemos dizer que a sexualidade está ligada aos planos bio-psico-social sendo então afetada por crenças culturais e religiosas próprias ao ambiente em que cada indivíduo se insere.
    "A adolescência chega e muitas vezes com ela as primeiras experiências sexuais. Nem todo mundo sabe, mas o despertar da sexualidade nada tem a ver com a genitalidade, normalmente acentuada nesta fase da vida”.
    Na verdade, a sexualidade, como falamos anteriormente, abrange a genitalidade, o carinho, o afeto, o amor a até mesmo a comunicação. Engloba todas as experiências e aprendizagens que fazem com que tenhamos a nossa identidade, seja em questões de gênero ou dos papéis sexuais. Experiências, que incluem aquelas que levam ao conhecimento do nosso corpo e de nossas emoções, que começam quando na tenra idade o nenê se toca reconhecendo as diferentes partes de seu corpo e continuam quando principiam as atividades em grupo procurando amiguinhos, primeiro do mesmo sexo e depois do sexo oposto. Com a chegada da adolescência chega a fase da masturbação e só posteriormente o relacionamento com o outro.
    Quanto às diferenças entre sexualidade feminina e masculina, são evidentes desde a infância pelos diferentes comportamentos que ao chegar à adolescência se evidenciam mais ainda. As meninas tendem a conversar mais, procurando respostas a suas indagações, seja com a amiga, irmã, tia ou mesmo com a mãe, ou buscando em revistas e internet quando não encontram possibilidades de diálogo. Elas não têm problema em falar de sua intimidade na maioria das vezes. Já os meninos desde cedo tem dificuldades em conversar sobre sua vida pessoal tudo é MISTÉRIO. No grupo de amigos é só curtição! Brincadeiras e papos, divertidos, mas gerais. Quando falam de sexo, geralmente é de forma exagerada ou bastante estereotipada, por isso mesmo até nas pesquisas (quando fazíamos) tínhamos dificuldade de saber mais sobre o comportamento dos rapazes.
    Observando as revistas dos jovens podemos notar essas diferenças. Meninas: tratam da questão da sexualidade, sedução, paquera, beleza, etc.
    Meninos: tem como temas assuntos gerais como negócios, carros, sexo, mas este é abordado geralmente através de fotos de mulheres nuas, sexo explicito dando ênfase a performance sexual.
    Este comportamento dos homens parece estar relacionado a estereótipos sociais em que eles são vistos como sabendo e conhecendo tudo sobre sexo. Não tendo dúvidas ou dificuldades. Observa-se que se as mulheres sofriam uma repressão sexual, os homens sofrem por não poderem ser mais humanos, com limites, dificuldades e dúvidas. É refém da imagem de parecer com "super homem, sabedor de todas as questões referentes ao sexo". E isto é tão terrível quanto uma mulher ter sua sexualidade reprimida, podendo até causar mais angústia e necessidade de buscar meios medicamentosos para solucionar questões que poderiam ser resolvidas com dialogo.  
    Assim podemos arriscar que é mais difícil conversar sobre sexo com os filhos homens do que com as mulheres, mas não devemos deixar de tentar mudar isso...

    domingo, 27 de março de 2011

    Continuando a falar sobre adolescência hoje vou fugir de referências e vou divagar...

    Quando pensamos naquele ser que nasceu, cresceu e agora é um jovem adquirindo suas características próprias, rebelando-se aos seus pais , professores e identificando-se com seus amigos... enfim procurando sua identidade que logo será de um adulto, nada mais lógico que entendamos o quanto difícil é este momento.

    • Gente quando seu filho contestar, não entenda isso como pessoal, quando ele te disser não respeite este não, pois assim ele saberá que pode negar o que não quiser e no futuro saberá dizer não a outros.
    • Quando seu filho ainda criança lhe fizer uma pergunta, encontre tempo para respondê-la e a resposta não precisa ser muito complexa, responda o que ele quer saber apenas e se não souber... procure informação onde tem ou com quem sabe.  Assim quando adolescente saberá que pode confiar em você e perguntar.
    • Quando seu filho fizer algo, ou quiser algo, que não seria o ideal, explique as razões ... se ele entender, vai saber que você não está apenas negando algo por negar e sim porque não é o melhor naquele momento.
    • Acostume seu filho com o não!!!!  

    quinta-feira, 24 de março de 2011

    Definição de adolescência






                    Os “Adolescentes estão prontos a transformar qualquer desejo em ação. Dos desejos corporais, estão mais dispostos a ceder ao desejo sexual, não exercendo autocontrole”
    Aristóteles 384- 322 a.c
    Como podemos ver nada é novo, muitas vezes pensamos que o que está ocorrendo com a juventude de hoje é diferente do que ocorria antigamente, mas como podemos observar no texto acima, já Aristóteles observava esses comportamentos que às vezes assustam a pais que se esqueceram de sua juventude.
    Assim, considerando que Adolescência é a fase do desenvolvimento humano  que marca a transição entre a infância e a idade adulta, caracteriza-se por alterações em diferentes níveis – bio-psico-social - e representa para o jovem a perda do comportamento e dos privilégios da infância e da obtenção de deveres e direitos  característicos do adulto, é natural que essas modificações causem um luto natural por estas perdas e com isso esta fase vem muitas vezes acompanhadas de crises nem sempre lembradas pelos que um dia foram jovens e que atualmente em sua pseudo sabedoria de “mais velhos” ficam repreendendo seus filhos, familiares ou alunos.
    Quanto a faixa etária devemos considerar que, ao contrário da puberdade que tem limites precisos por sinais visíveis, a adolescência não os tem o que se observa em diferentes definições: a Organização Mundial da Saúde define adolescente como o indivíduo que se encontra entre os dez e vinte anos de idade e, no Brasil, o Estatuto da Criança e do Adolescente estabelece ainda outra faixa etária - dos 11 aos 18 anos. Todavia, se o início da adolescência é claramente marcado pelo início do amadurecimento sexual (coincidindo com a puberdade), o seu fim não se define apenas pelo desenvolvimento corporal, mas sobretudo pela maturidade social - que inclui, entre outras coisas, a entrada no mercado de trabalho e o assumir do papel social de adulto.  Assim o fim da adolescência não é marcado por mudanças de ordem fisiológica, mas sobretudo de ordem sócio-cultural, podendo nos dias atuais estender-se por mais alguns anos com o término dos estudos universitários e quem sabe em alguns casos de pós-graduação, quando realmente inserem-se no mercado de trabalho.[1]
    Nas próximas postagens pretendemos então conversar sobre a sexualidade e a gravidez na adolescência... até lá.

    Fonte:
    1.     .http://pt.wikipedia.org/wiki/Adolesc%C3%AAncia 
    2.      Anotações antigas.

    terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

    Pensamentos para refletir

    "Quando vejo uma criança ela me inspira dois sentimentos: ternura pelo que ela é e respeito pelo que  pode ser." (Jean Piaget)
    "Cada criança que se ensina é  um homem que se conquista". (Vitor Hugo)
    Pensando na próxima postagem...

    domingo, 13 de fevereiro de 2011

    Puberdade

    E  dando andamento ao ciclo da vida já vimos o parto, os cuidados ginecológicos  na infância e passamos a puberdade.
    O que é puberdade? Qual a diferença entre puberdade e adolescência?
    A puberdade é um período de transição do desenvolvimento humano que marca a passagem da fase da infância para a fase adulta. A puberdade é um período em que ocorrem mudanças biológicas e fisiológicas. Quando o corpo se desenvolve tornando-se maduro. Ela não deve ser confundida como sinônimo da adolescência, visto que a puberdade faz parte da adolescência.
     Nesta fase, são observadas mudanças tais como: crescimento de pêlos pubianos, crescimento dos testículos e aparecimento das mamas ou seja desenvolvimento dos caracteres sexuais.
    O início da puberdade é variável com a influência de vários fatores como:: a genética, a etnia (diferenças acentuadas entre culturas diferentes), do meio social e diversos outros fatores biológicos e culturais. Geralmente para o sexo feminino é entre os 9 e os 13 anos de idade e para o sexo masculino entre 10 e 14 anos de idade.
    Assim podemos dizer que a puberdade é a fase em que ocorrem as mudanças do ponto de vista físico e biológico, enquanto a adolescência é a fase em que ocorrem as modificações bio-psico-sociais, sendo, portanto, bem mais amplas as transformações e mais difíceis de quantificar. Podemos dizer que algumas pessoas demoram bastante a sair da fase de adolescência... é aquele que dizemos que “cresceu, mas não amadureceu”
    Procurando na internet encontramos vários blogs abordando o assunto por isso resolvemos resumir colocar aqui alguns conhecimentos práticos..
    Quando o desenvolvimento dos caracteres sexuais femininos (ou masculinos) não ocorrem até os 14 anos o médico deve ser consultado e quando os caracteres sexuais aparecem antes dos 8 anos de idade também.
    No desenvolvimento puberal feminino temos :
    ·         desenvolvimento das mamas, também chamado de Telarca
    ·         surgimento de pêlos nas regiões axilares (axila) e inguinais (pubianos) Também chamado de Pubarca
    ·         princípio do ciclo menstrual conhecido como Menarca 
    ·         expansão óssea da cintura pélvica (bacia); 
    ·         depósito de gordura nas nádegas, nos quadris e nas coxas; 
    Entre o aparecimento dos pelos e a menarca pode levar até 1 ano.


    No menino, as transformações começam um pouco mais tarde, por volta dos 10 aos 12 anos e são muito mais demoradas que nas meninas. Os primeiros sinais dessa transformação são, basicamente, o aumento no tamanho dos órgãos genitais, o nascimento da barba e o aparecimento de pelos na região pubiana, nas pernas, nos braços e no peito. È quando temos o Estirão ou seja quando ocorre o crescimento em altura.




    Não acredito que tenhamos que escrever demais para não ficarmos chatos assim se quiserem perguntar mais alguma coisa estejam a vontade.
    No próximo capítulo abordaremos  adolescência a não ser que vocês solicitem outro assunto no intervalo... até lá

    terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

    Parto humanizado

    Conforme o prometido ...

    Sempre fui uma fã do Parto Natural. , ou parto psicoprofilático também conhecido por Parto sem dor, Psico-profilaxia Obstétrica, Parto Preparado, Método Lamaze ou Parto fisiológico.  É um método antigo pois “teve como pais Dick Read na Inglaterra (1929), que preconizava a abolição do medo do parto.  O método foi difundido em todo o mundo pela mão do Dr. Lamaze, obstetra francês de renome da década de 50”. ( fonte: http://www.partosemdor.com/prepospartoagua.htm )
    O método de preparação psicoprofilático para o parto resume-se em 3 pontos principais:
    Ø  Descondicionar os conceitos que estão errados e condicionar o que está certo, ou seja a respiração e o relaxamento voluntário .
    Ø  Tornar conhecido o desconhecido, aumentando o limiar de sensibilidade à dor;
    Ø  Ocupar o cérebro com o relaxamento voluntário através da concentração total e a respiração, para serem utilizados durante a contração uterina como um reflexo condicionado.
    Ou seja, o que se pretende é condicionar a mulher a dar a luz sem dor através do descondicionamento dos reflexos negativos (dor e medo) e condicionamento dos positivos, da ocupação do córtex cerebral durante a contração uterina com o relaxamento e a respiração e aumentando o limiar de sensibilidade a dor. (fonte: http://preparir.wordpress.com/about )
    Assim em vez do conceito de que PARTO é igual a dor, PARTO =contração que é ≠ de dor.

    Já  o "Parto humanizado" não pode ser entendido como um "tipo de parto", onde alguns detalhes externos o definem como tal. A Humanização do parto ou de qualquer ação é um processo e não um produto que nos é entregue pronto. Assim o processo de humanizar seria  desenvolver a habilidade de olhar, no caso, para a gestante de forma mais atenta aos processos culturais, emocionais, psíquicos e espirituais envolvidos no parto e não apenas ao biológico. O processo de nascimento, o crescer, adolescer e tornar-se adulta, a vivência da gravidez, do parto, da maternidade, da dor, da morte e da separação são provas que inevitavelmente acompanham a existência humana e por isso devem ser consideradas e respeitadas no desenrolar de um evento natural e completo como é o parto. Assim busca entender o parto como uma situação fisiológica em que  interfere-se  pouco ou quase nada o seu desenrolar cabendo ao obstetra apenas corrigir alguma distócia ou alteração no decorrer do trabalho de parto que corresponderia a um percentual em torno de 20%.
    Assim a metodologia envolve além de exercícios físicos, respiratórios e relaxamento, informação de conceitos essenciais de modo a facilitar o entendimento do processo do PARTO. Todo o conhecimento que é transmitido na preparação para o parto interfere no momento do parto. Trabalhar na criação de uma compreensão recíproca numa atmosfera de confiança, segurança e estima entre as pessoas envolvidas incluindo a participação, sempre que possível, do companheiro da futura mãe. 

    Quem desejar mais informações o portal do ministério da saúde oferece um manual bastante interessante e gratuito: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/parto_aborto_puerperio.pdf

    sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

    Cistocele e Prolapsos Genitais

    Atendendo uma das solicitações...


    Cistocele e Prolapsos Genitais

    O útero, bexiga e o reto ficam contidos na cavidade pélvica. A parte inferior da bacia possui uma série de músculos e ligamentos que mantêm esses órgãos em seus lugares.quando existe a falência do tecido conectivo endopélvico e do elevador do anus ou de ambos falamos em prolapso genital que nada mais são do que as doenças de suporte pélvico  que incluem:  retoceles, cistocelesenteroceles e  prolapso uterino,  refletem deslocamentos do reto, bexiga, intestino e útero
    O prolapso genital é causado pelo enfraquecimento das estruturas de sustentação dos órgãos pélvicos, principalmente os músculos e ligamentos. Este enfraquecimento por sua vez associa-se a fatores como múltipos partos, envelhecimento, alterações hormonais, obesidade, cirurgias ginecológicas e fatores genéticos entre outros.Nestas circunstâncias, quando a mulher faz um esforço físico (como pegar peso, tossir, espirrar)  estes órgãos podem "descer" forçando a parede vaginal, levando a um abaulamento que pode ser percebido como uma "bola" na vagina.
    Esta alteração pode causar sintomas que incluem: incontinência urinária de esforço, ou seja, perdem urina ao tossir ou espirrar, desconforto ou dor durante as relações sexuais, sensação de dor ou pressão na região genital e períneo, aparecimento de uma "bola" na vagina. Porém, a incontinência urinária não está, obrigatoriamente, associada à “bexiga caída”, como se acreditava antigamente, podendo ser devida a outras alterações.
    O diagnóstico do prolapso genital é baseado no exame físico genital. Em alguns casos, quando o prolapso é muito severo, pode solicitar o uso de métodos de imagem para avaliação dos órgãos envolvidos e a repercussão sobre outros órgãos. Assim, exames como uretrocistografia miccional, urografia excretora, tomografia, ressonância nuclear magnética, ultrassonografia e outros podem ser necessários, e cabe ao seu ginecologista determinar a necessidade ou não destes exames.
    A avaliação urodinâmica é muito importante quando se deseja avaliar a continência urinária e a capacidade de esvaziamento da bexiga.  
    O tratamento do prolapso genital depende dos sintomas da paciente, dos órgãos envolvidos e da severidade do prolapso. Assim, quando o prolapso é leve a moderado e a paciente tem poucos sintomas, não requer tratamento cirúrgico . Nas pacientes com muitos sintomas e prolapso leve a moderado pode-se tentar tratamentos de reabilitação do assoalho pélvico(um tipo de fisioterapia). Pacientes com prolapso severo e/ou muitos sintomas geralmente requerem tratamento cirúrgico para restabelecer a anatomia pélvico-vaginal.

    terça-feira, 18 de janeiro de 2011

    esperando sugestões

    Tenho muitas idéias do que postar... mas gostaria de que solicitassem o que preferem para ir intercalando com meus assuntos... Enquanto isso estou de férias...

    terça-feira, 4 de janeiro de 2011

    Feliz Ano Novo!!!

    2011 - ANO NOVO!!!! vida nova!!!! volta a rotina ou mudanças?? enfim a cada ano que inicia decisões e propostas são pensadas, algumas realmente seguidas e outras deixadas pra lá. O importante é seguir em frente com planejamentos que possam ser adaptados as realidades que irão surgindo no decorrer do dia a dia.
    Não desistam de planejar e não desistam de seus sonhos...